Pela primeira vez, poderia realizar-se nos Estados Unidos uma Conferência Internacional sobre a SIDA, uma vez que os Estados Unidos levantaram a proibição de entrada do VIH no seu território, em 1987, há dois anos. Atualmente, pode-se tratar a AIDS como uma doença que pode ser controlada com indisfarçável alegria, anunciou o Presidente do Banco Mundial no cerimonial de abertura da conferência intitulada “Vamos virar o cartão”, para o qual mais de 20 mil pessoas foram a Washington. participante. Eu prometo que o Banco Mundial continuará a participar na luta contra a AIDS até victory – disse quem apareceu como o primeiro presidente do Banco Mundial em funções em tal fórum.

As Nações Unidas lembram os objetivos

Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, na forma de um vídeo-transmissão durante a cerimônia de abertura, recordou os objetivos que a organização mundial fixou-se: até 2015, o número de novas infecções está a ser reduzida pela metade, de 15 milhões de pessoas com HIV devem ser tratadas, e nenhum dos recém-nascidos não têm esse vírus em seu corpo. “Pode ser bem sucedido se agora nos focarmos nesses objetivos e aumentarmos nossos esforços e investirmos mais”, disse Ban Ki-moon.

Imagem comercial – nesta fotografia tirada pela AP Images for AIDS Healthcare Foundation, os manifestantes iniciam a marcha Keep The Promise em Washington e rally, domingo, 22 de julho de 2012, em Washington. Na conferência de 6 dias em que participaram participantes de 195 países, a questão mais importante é como financiar o tratamento e a prevenção da SIDA. Serão igualmente apresentados os resultados mais recentes da investigação. Os peritos já anunciaram que foram realizados progressos significativos no domínio da vacinação e da prevenção.

as-nac%cc%a7o%cc%83es-unidas-lembram-os-objetivos

O problema no tratamento da infecção pelo VIH é a crescente resistência dos vírus aos medicamentos utilizados até agora e a maior propagação do vírus na Ásia Central, Europa Oriental, Médio Oriente e norte de África.

A SIDA é uma doença que afecta todo o mundo

Existe também uma ligação preocupante entre a incidência da SIDA e a crise que assola os países europeus. Receiam que os países em más condições económicas não cumpram as suas promessas e acabem com os subsídios para combater a SIDA.

– Não devemos parar de trabalhar-enfatizou o Ministro da Saúde da República Federal da Alemanha, Daniel Bahr, abrindo o pavilhão alemão na área de exposição da conferência. – 2.700 novas infecções anualmente na Alemanha e 2,7 milhões no mundo é definitivamente demais. Por esta razão, devem ser prosseguidas actividades intensas de sensibilização e prevenção-como a Alemanha está a fazer -, salientou.

Em junho de 1981, o centro americano de controle e prevenção de doenças (CDC) publicou um relatório que fez história médica. Casos de uma doença misteriosa foram descritos pela primeira vez – cinco jovens gays de Los Angeles foram diagnosticados com pneumonia atípica, dois deles morreram.

De onde veio a SIDA? 40 anos a contar dos primeiros casos

Provavelmente naquela época ninguém pensava que a nova doença iria ficar conosco por muito tempo e tiraria tantas vidas. Passaram 40 anos desde que os primeiros casos de AIDS, a doença causada pelo HIV, foram descritos. Estima-se que mais de 32 milhões de pessoas em todo o mundo morreram como resultado da infecção.

Poucos dias depois do relatório ser divulgado, o CDC sabia que havia muitos mais Casos da doença entre homens homossexuais. Os pacientes tinham pneumocitose (um tipo de pneumonia), mas também outros problemas causados pela infecção, incluindo sarcomas de Kaposi.

Casos mais documentados da nova doença surgiram nas semanas que se seguiram. Desde então, o número de doentes com SIDA aumentou a um ritmo acelerado. A incidência máxima foi registrada na década de 1990. em 1997, mais de 3,7 milhões de novas infecções foram registradas. No início, os homens eram dominantes entre os doentes, mas com o tempo as proporções tornaram-se iguais. Ao longo dos anos e das investigações subsequentes sobre o VIH, verificou-se também que a doença não afecta apenas os homossexuais. A África tem o maior número de casos de SIDA. A situação começou a mudar na virada dos anos 80 e 90. as primeiras terapias anti-retrovirais e medicamentos apareceram.

de-onde-veio-a-sida-40-anos-a-contar-dos-primeiros-casosO mundo estava à espera de uma coisa: uma vacina eficaz. Na primeira Conferência Internacional sobre a SIDA, em 1985, foi anunciado que a vacina apareceria dentro de 2-3 anos. Passaram-se 36 anos e os cientistas ainda não conseguiram criar uma fórmula eficaz, apesar de terem sido consagrados grandes fundos à investigação. Por quê? Uma das razões é a elevada variabilidade do vírus VIH.

– O problema com o HIV é que ele ataca as células responsáveis pelo reconhecimento e combate aos patógenos. Portanto, estamos lidando com um vírus que, em primeiro lugar, não podemos remover das células infectadas, e em segundo lugar, ele permanece lá por muito tempo, constantemente replicando e infectando novas células. Além disso, ataca o nosso sistema imunitário e sofre mutações constantes.